Lançamento oficial de The Ghost in the Shell pela JBC Portugal

16.07.2018 Lançado oficialmente o primeiro mangá da JBC Portugal: The Ghost in the Shell, do mestre Shirow Masamune.

Lançamento oficial de The Ghost in the Shell pela JBC Portugal

Foi lançado oficialmente o primeiro mangá da JBC Portugal: The Ghost in the Shell, do mestre Shirow Masamune.

Fãs do mangá de ficção científica juntaram-se na Kingpin Books, em Lisboa, para assistir ao lançamento com a participação do editor Júlio Moreno, o tradutor André Oliveira e do proprietário da Kingpin Books, Mario Freitas.

O grande destaque do evento foi o mangá que, pela primeira vez, estava disponível para venda em Portugal. Este destacou-se pela qualidade da impressão e o acabamento de luxo: a versão portuguesa tem uma dimensão bem generosa de 17 x 24 cm, 352 páginas sendo que 62 são coloridas. O mangá tem ainda badanas escritas à mão em japonês pelo próprio autor e uma sobrecapa impressa com a utilização de duas cores especiais para reproduzir os efeitos idealizados por Masamune Shirow. Isto significa que, além das 4 cores normais em que todas as capas são feitas, a de The Ghost in the Shell utilizou outras duas extras… E assim, a versão portuguesa chega com seis cores!

Júlio Moreno e André Oliveira

Júlio Moreno e André Oliveira

No lançamento Júlio Moreno afirmou que este foi o primeiro título pedido no Japão, quando começou a publicar mangá em 2000.

Levamos quase 17 anos para conseguir os direitos autorais deste título para o Brasil porque o autor e a editora precisavam ter a certeza de que seria uma obra publicada com a mesma qualidade com que foi feita no Japão. Fico muito feliz por Portugal não precisar esperar tanto tempo e, já no primeiro lançamento, ter um clássico tão importante do universo dos mangás.

André Oliveira destacou as características únicas desta versão:

O autor coloca notas de rodapé onde explica o que estava a pensar no momento em que criava o mangá. Masamune Shirow fala da situação política do Japão, das suas questões filosóficas sobre a Inteligência Artificial. Nas versões americanas já publicadas o mangá nunca teve este nível de detalhe e acabamento.

The Ghost in the Shell foi originalmente publicado no Japão entre 1989 e 1991, tornando-se numa das obras mais impactantes de ficção científica influenciando até as irmãs Wachowski na criação da popular trilogia Matrix.

Em 1995, o famoso realizador japonês Mamoru Oshii aos comandos do estúdio de animação Production I.G levou para os ecrãs de cinema o universo idealizado por Masamune Shirow reforçando assim a popularidade do mangá e ao mesmo tempo criando um dos animes mais venerados de todos os tempos. The Ghost in the Shell deu ainda origem a 6 séries animadas e mais 3 filmes de animação sendo que em 2017 Hollywood adaptou a obra para um filme onde a major Kusanagi foi interpretada por Scarlett Johansson, a Viúva Negra dos Vingadores.

A História

O cenário escolhido por Shirow Masamune para The Ghost in the Shell foi o futuro distópico de 2029, onde a alta tecnologia se mistura com uma sociedade decadente e desigual. É neste mundo à beira do colapso que a Major Motoko Kusanagi toma a liderança da Seção 9 da Segurança Pública japonesa.

Motoko é uma ciborgue altamente treinada e incumbida de desmantelar uma série de crimes cibernéticos realizados por um hacker conhecido como Mestre dos Fantoches. No meio desta “caça ao criminoso virtual”, Shirow Masamune enriquece a narrativa com questões existencialistas, ponderando até se alguém provido apenas de Inteligência Artificial é, de fato, um ser vivo. E foi exatamente essa mistura de ficção científica, ação e temas filosóficos que fizeram do mangá The Ghost in the Shell uma leitura obrigatória.

 

The Ghost in the Shell  pela JBC Portugal está já a caminho das lojas da especialidade, e não se esqueçam de acompanhar as no redes sociais da editora para estarem sempre a par das novidades.